Skip to main content

PESQUISAR

Abertas candidaturas para Prémio Janssen Inovação

Abertas candidaturas para Prémio Janssen Inovação 

Novembro 13, 2017

«O Prémio Janssen Inovação é o resultado da vontade de incentivar e distinguir o que de melhor se faz em investigação no nosso país em diferentes áreas da saúde»

Filipa Mota e Costa

Diretora geral janssen portugal

Cientistas, investigadores, profissionais de saúde e académicos a trabalhar em Portugal estejam atentos. Abrem hoje as candidaturas para a 2ª edição do Prémio Janssen Inovação. Esta é a oportunidade de reconhecer a investigação  na área da saúde. 

O período de candidaturas para a 2.ª Edição do Prémio Janssen Inovação irá decorrer entre 13 de novembro de 2017 e 31 de janeiro de 2018. O prémio, no valor total de 60 mil euros, repartidos pelo primeiro (30.000€), segundo (20.000€) e terceiro (10.000€) melhores trabalhos, visa distinguir trabalhos de investigação científica nas área de Imunologia, Infecciologia, Neurociências, Oncologia e Hipertensão Pulmonar. Esta é uma iniciativa da Janssen Portugal, companhia farmacêutica do grupo Johnson & Johnson, em parceria com a Universidade Católica Portuguesa (UCP).

Os trabalhos podem ser submetidos individualmente ou em grupo (equipa de investigação) através do site https://www.premiosjanssen.pt/ devendo ser inéditos, terem sido concluídos após 31 de outubro de 2014  e realizados total ou maioritariamente em instituições portuguesas (unidades hospitalares, estabelecimentos de ensino superior e/ou centros de investigação).

«O Prémio Janssen Inovação é o resultado da vontade de incentivar e distinguir o que de melhor se faz em investigação no nosso país em diferentes áreas da saúde», afirma Filipa Mota e Costa, diretora-geral da Janssen Portugal. «A atribuição deste prémio, que se realiza de dois em dois anos, pretende distinguir investigação desenvolvida em áreas consideradas prioritárias pela Organização Mundial de Saúde», acrescenta a responsável.

«Com este Prémio estamos a dar visibilidade à investigação de ponta que se faz no país, atraindo jovens cientistas, dando-lhes condições para irem ainda mais além, prestigiando o nome de Portugal» assegura Isabel Capeloa Gil, reitora da UCP.

A Comissão de Avaliação do Prémio Janssen Inovação é presidida por Jorge Sampaio, constituída por cinco individualidades com mérito reconhecido na investigação em saúde em Portugal e dois representantes das instituições promotoras desta iniciativa.

Os projetos vencedores serão conhecidos até ao final do mês de maio de 2018.

Comissão de Avaliação da 2.ª edição do Prémio Janssen Inovação

  • Jorge Sampaio, presidente da Comissão de Avaliação
  • António Araújo, médico oncologista, diretor do Serviço de Oncologia Médica no Centro Hospitalar do Porto
  • Catarina Resende de Oliveira, médica neurologista, coordenadora do Consórcio CNC.IBILI
  • João Eurico da Fonseca, médico reumatologista, diretor da Unidade de Investigação em Reumatologia do IMM
  • José Azevedo Pereira, professor auxiliar com agregação, FFUL, Departamento de Microbiologia e Imunologia
  • Rui Baptista, cardiologista do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
  • Alexandre Castro Caldas, diretor do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa
  • José Antunes, diretor médico da Janssen Portugal.

Vencedores da 1.ª Edição do Prémio Janssen Inovação

A equipa de investigação do ICVS/3B’s Associate Laboratory da Universidade do Minho, liderada por Ioannis Sotiropoulos, recebeu o galardão de maior valor da 1.ª Edição do Prémio Janssen Inovação. Foram 30 mil euros para o trabalho da área de Neurociências “Tau therapeutics in stress-evoked brain pathology: exploring the path from depression to Alzheimer´s disease”, que contou ainda com a co-autoria de Ana Sofia Lopes, João Silva, Chrysoula Dioli, Mónica Morais e Vítor Pinto. Este trabalho caracteriza a forma como o stress crónico instiga a patologia cerebral, identificando a proteína Tau como um modelador importante na disfunção emocional e cognitiva induzida pelo stress, e foi reconhecido por dar um passo importante para a identificação dos mecanismos subjacentes à fisiopatologia da Doença de Alzheimer.

Já o segundo prémio foi atribuído a uma equipa do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra cujo trabalho poderá constituir a base do primeiro medicamento relevante para tratar ou, pelo menos, atrasar a progressão da Doença de Machado-Joseph. A equipa liderada por Cláudia Cavadas, e constituída por Janete Cunha-Santos, Joana Duarte-Neves, Vitor Carmona e Luís Pereira de Almeida recebeu 20 mil euros. O projeto de investigação na área das Neurociências “Novel therapeutic approach to alleviate neuropathology and motor deficits in Machado–Joseph disease mouse models: molecular and pharmacological activation of SIRT1 pathway” mostra pela primeira vez, em modelos animais, que a restrição calórica, pela ativação da SIRT1, atrasa a progressão da doença de Machado-Joseph.

Ao trabalho da área da Infecciologia, “Role of Cathepsins in Mycobacterium tuberculosis Survival in Human Macrophages”, liderado por Elsa Anes, e onde participaram mais dois investigadores do iMed.ULisboa, David Pires e Nuno Carmo, foi atribuido o terceiro prémio, com um valor de 10 mil euros. Os investigadores foram distinguidos pela descobertas que fizeram sobre as bases do desenvolvimento da Tuberculose, que poderão ser usadas como futuras estratégias terapêuticas, num momento em que as resistências a antibióticos causam cada vez maior preocupação a nível mundial.

Para além dos três Prémios foram ainda distinguidos quatro trabalhos com menções honrosas.

Sobre a Janssen

A Janssen, companhia farmacêutica do grupo Johnson & Johnson, é uma das companhias farmacêuticas de investigação líder a nível mundial, estando presente em todos os continentes. A Janssen está empenhada em descobrir e disponibilizar medicamentos inovadores para necessidades médicas não preenchidas, e desenvolveu ao longo das últimas décadas múltiplas terapêuticas que têm feito a diferença, de forma significativa, na vida dos doentes. As áreas chave da companhia são: Neurociências, Imunologia, Oncologia, Infecciologia e Doenças Metabólicas. Para mais informações consultar: www.janssen.com/portugal.

Sobre a Universidade Católica Portuguesa

Nascida em 1967, a Universidade Católica Portuguesa (UCP) tem-se afirmado ao longo dos anos pelo prestígio do seu ensino, pela qualificada investigação que desenvolve e pela abertura à internacionalização. A UCP está presente em Lisboa, Braga, Porto e Viseu, com diversas áreas de estudo, formação e investigação, das ciências sociais e humanas às tecnologias e saúde. A área da saúde recebeu em 2004 um incremento fundamental na UCP através da criação do Instituto de Ciências da Saúde. Para mais informações consultar: www.ucp.pt.

PHPT/NPR/0917/0001c